• Aproveite nossos produtos e parcele em até 6x sem juros.
  • Entrega de pedidos para todo o Brasil.
  • Ganhe duas amostras em todos os pedidos!
Banner

Apesar de não ser uma doença grave, a dermatite atópica tem um forte impacto na vida diária. Pais ficam ansiosos e crianças, cansadas: a dermatite atópica pode afetar a rotina familiar por causa das restrições, atenção e cuidado que requer, além da coceira incessante que exacerba os sintomas e leva à noites de sono mais difíceis.

Não só é uma grande preocupação para os pais, mas irmãos também podem se sentir negligenciados ou magoados quando a família para de se envolver em atividades que podem prejudicar a saúde da criança com dermatite atópica, como esportes ao ar livre (o suor e a exposição ao pólen podem causar inflamação) e idas à piscina ou à praia (por causa da sensação de ardência causada pelo cloro e sal).

O equilíbrio familiar depende da independência da criança. A partir dos 4 ou 5 anos de idade, a criança já é capaz de aprender a autoexaminar sua pele e entender a dermatite atópica, sabendo que os sintomas vão melhorar se ela seguir corretamente o tratamento. Conquistando sua independência, a criança tem a chave para melhorar sua qualidade de vida e evitar sentir-se excluída da família e de seu círculo social.

Veja abaixo algumas dicas para estimular a independência da criança e tornar a rotina de hidratação fácil e divertida:

O dermatologista é o melhor amigo da família.
O desafio da primeira consulta com o dermatologista é descrever atentamente os sintomas para que o médico realize o diagnóstico e tratamento corretos da doença. Porém, o papel do médico não acaba aí. A dermatite atópica é uma doença que frequentemente causa o isolamento dos pacientes e muita preocupação na família. Não hesite em dividir com o seu médico a forma com que você convive com a doença: a intensidade da coceira, da dor, problemas no sono, queda da auto-estima, ansiedade, dificuldade em cuidar das áreas afetadas, impacto na escola, na vida familiar, etc. Quando as crianças já são grandes o suficientes para se expressarem sozinhas, vale também falar sobre seus sentimentos, além dos sintomas que afetam a pele.

Além disso, hoje existem grupos de apoio sobre atopia. Com quem você pode dividir o fardo das noites sem dormir? Das batalhas silenciosas contra a doença? Estresse e cansaço? Expectativas e fracassos? Os grupos de apoio sobre atopia acompanhados por profissionais da saúde são o fórum ideal para discutir a doença com outros pacientes. Conheça alguns abaixo:


Projeto Social Escola de Atopia
Associação de Apoio à Dermatite Atópica (AADA)