Banner

Conceito

A dermatite atópica é uma doença de pele inflamatória crônica.

Pacientes atópicos (são 50 milhões de pessoas afetadas no mundo, e o número pode chegar a 20% das crianças) tem a barreira de proteção da pele defeituosa, bem como um sistema imunológico hiper reativo e em desequilíbrio. Recentemente, também descobriu-se que o microbioma cutâneo, a população de microorganismos presentes na superfície da pele que é corresponsável por manter sua saúde, é outro fator em desequilíbrio na pele atópica. A pele se torna seca, sensível e irritável.

Nessas circunstâncias, os irritantes presentes no ambiente externo que normalmente são bem tolerados, como pólen, poeira e determinados produtos de higiene, acabam penetrando mais profundamente na pele, desencadeando as inflamações da dermatite atópica.

A doença tipicamente se manifesta depois (e em alguns casos antes) dos três meses de idade, e pode perdurar desde poucos meses até muitos anos, dependendo da criança. Sem o tratamento adequado, o ciclo vicioso da coceira se instala; isso faz com que a barreira de proteção da pele se deteriore ainda mais, permitindo que mais alérgenos e substâncias irritantes continuem a penetrar na pele e causar coceira.

No entanto, poucos casos persistem até a vida adulta: metade das crianças que tiveram dermatite atópica antes de um ano de idade são curadas antes dos 5, embora sua pele permaneça ressecada nos anos seguintes.

A atopia tem um componente genético de predisposição a alergias, conhecido como "histórico da família atópica". Quase 80% das crianças com dermatite atópica tem esse histórico familiar.


Sintomas mais comuns

Existem duas fases principais na dermatite atópica: crise e remissão.

Durante a crise, ocorre ressecamento intenso, inflamação da pele, coceira e o aparecimento de crostas.

A remissão, que ocorre no período entre uma crise e outra, se caracteriza apenas pelo ressecamento intenso da pele. Pessoas com estes sintomas devem consultar um dermatologista.

A localização das lesões também são uma pista, e pode variar durante a infância. Bebês frequentemente apresentam lesões na face, especialmente nas bochechas e queixo. Em crianças, as lesões tendem a aparecer nos joelhos, pulsos, ombros e pescoço.


Fatores agravantes

Em primeiro lugar, tome cuidado para não confundir os fatores que causam as crises com as causas reais da dermatite atópica, que consiste na deficiência estrutural dos mecanismos de proteção da pele.

Os fatores que desencadeiam as crises são numerosos e não podem ser completamente evitados. Eles podem estar relacionados ao ambiente, à comida e até às emoções - embora não haja uma explicação, as emoções têm um papel significativo na frequência e na intensidade das crises. O surgimento dos primeiros dentes e desordens respiratórias também podem desencadear as inflamações em crianças. Além disso, as reações aos fatores agravantes variam de acordo com cada um. Os mais comuns são:

  • Poeira e pólen, que estão presentes naturalmente no ar
  • Sabonetes, sabão em pó e produtos de limpeza doméstica
  • Tabaco e poluição
  • Calor ( suor) e ar muito seco
  • Tecidos irritantes: lã, tecidos sintéticos, etc.
  • Animais de estimação
  • Estresse emocional
  • Surgimento dos primeiros dentes
  • Mudanças de temperatura ambiente
  • Alergias alimentares
  • Mar ou piscina

É sempre melhor controlar a inflamação depois dos primeiros sinais de dermatite atópica do que tentar eliminar completamente todos os fatores ambientais.